Fuga de Álvaro Cunhal da "Cadeia do Forte de Peniche" – 3 de Janeiro de 1960

Fuga de Álvaro Cunhal da
Fortaleza de Peniche

Assinalando-se durante o ano 2013 o centenário do nascimento de Álvaro Cunhal, político e líder histórico do Partido Comunista Português, o Município de Peniche evoca hoje a espetacular fuga coletiva da Cadeia do Forte de Peniche, que teve lugar a 3 de janeiro de 1960, e onde tomou parte esta figura impar da história portuguesa do século XX, a par de outros destacados resistentes antifascistas, como Joaquim Gomes, Francisco Miguel, Guilherme da Costa Carvalho, Pedro Soares, Carlos Costa, Jaime Serra, Rogério de Carvalho, José Carlos e Francisco Martins Rodrigues.

Dando seguimento a uma política de evocação da memória associada ao movimento de resistência antifascista que teve como palco o estabelecimento prisional instalado pelo regime de Oliveira Salazar na Fortaleza de Peniche, o Município de Peniche e a União dos Resistentes Antifascistas Portugueses (URAP), desenvolvem presentemente um projeto de levantamento documental de todos presos políticos que cumpriram pena nesta cadeia por crime de delito de opinião durante o período de vigência da ditadura fascista (1933-1974). Este trabalho terá como objetivo último a edificação de um memorial que proceda à homenagem pública dos cidadãos que estiveram presos na Cadeia do Forte de Peniche, e que tal como Álvaro Cunhal, tiveram o seu percurso de vida ligado a Peniche, marcando, por sua vez, indelevelmente a memória coletiva desta comunidade piscatória.


CONTACTOS

Largo do Município
      2520-239 Peniche

(+351) 262 780 100

(+351) 262 780 111

 cmpeniche@cm-peniche.pt


 





Subscreva a nossa newsletter e receba todas as novidades no seu email.