E, na Estrada, foi assim…

E, na Estrada, foi assim…
A poesia passou pelo Sporting Clube do Lugar da Estrada [+] Fotos

E no passado Sábado, dia 12 de Novembro, a poesia passou pelo Sporting Clube do Lugar da Estrada e, mais uma vez, foram muitos aqueles que quiseram partilhar poesia dizendo-a ou, simplesmente, ouvindo-a.

António Gedeão foi o poeta mais ouvido da noite (assinalando o seu 105º aniversário de nascimento, que ocorrerá no próximo dia 24 de Novembro), mas também ecoaram as palavras de Luísa Ducla Soares, Mário Castrim, Mariano Calado, Ida Guilherme, Herberto Helder, Fernando Pessoa e Ruy Belo nos poemas lidos.

Também o mar teve lugar de destaque nas poesias escolhidas, por esta ser uma actividade integrada no programa que comemora Novembro como o Mês do Mar. De registar o contínuo aumento de pequenos dizedores e a leitura de alguns poemas inéditos da autoria de dois destes nossos colaboradores:

- a
Maria Carlos Marques (8 anos) leu-nos dois ou três poemas seus, de que destacamos esta "Sereia Vaidosa";
- e o David Pedrosa Antunes (15 anos), inspirado pelo momento e pela chuva que entretanto caiu, escreveu "na hora", esta "Noite de Poesia"!

A sessão terminou animada, com um coro improvisado entoando a "Pedra Filosofal", um dos mais célebres poemas de Gedeão, imortalizado pela voz de Manuel Freire: "…Eles não sabem, nem sonham, que o sonho comanda a vida, que sempre que um homem sonha o mundo pula e avança, como bola colorida entre as mãos de uma criança!"
 

"Sereia Vaidosa", de Maria Carlos Marques
 
A sereia vaidosa,
Nunca usa uma ventosa
Para subir a parede
Do seu castelo de rede.
 
Entra sempre pela janela,
Mas nunca lhe cheira a canela…
Cheira-lhe a bom cozinhado
Que lhe faz o namorado.
 
Depois do jantar
Fica um lindo luar,
E lá vai a sereia
Direitinha para o mar.
 
E sempre a cantar
Lá vai ela a nadar
Para o fundo do mar
sempre a cantar,
sempre a cantar…
 

"Noite de Poesia", de David
 
Nesta noite de poesia,
com eterna harmonia,
só no ar que se respira
já transmite o sentimento,
desta grande sinfonia

Hoje, amanhã,
quem sabe até um dia!
Espero que sempre
se sinta esta alegria

Hoje, noite escura,
com o vento como irmão,
a poesia sempre nasce,
não só quando faz sol
mas quando a chuva se manifesta…
 
Bela noite, bela noite,
sem problemas assim,
fazemos de tudo
…até fazemos poemas!


CONTACTOS

Largo do Município
      2520-239 Peniche

(+351) 262 780 100

(+351) 262 780 111

 cmpeniche@cm-peniche.pt


 





Subscreva a nossa newsletter e receba todas as novidades no seu email.